cine clube de viseu | vistacurta | cinema para as escolas

facebook | instagram | youtube

Comunicado

O Cine Clube de Viseu cancela Cinema na
Cidade 2021.

Uma das actividades culturais de Verão com maior tradição na cidade terá a sua edição anual cancelada, consequência da falta de financiamento, e será pensada em moldes alternativos, a anunciar em breve.

A parceria entre Cine Clube e Município de Viseu tem sido decisiva para manter este projecto e a cidade pode orgulhar-se de ter um programa de cinema ao ar livre com prestígio em todo o país. Na actual situação, em que os cinemas encerraram durante três meses e quando a actividade continua incerta, essa parceria é ainda mais decisiva. É, todavia, precisamente neste contexto que o Município de Viseu deixou de se associar ao projecto CINEMA NA CIDADE. Trata-se de um montante de 15 mil euros — e portanto uma pequena parte na actividade cultural do Cine Clube ao longo do ano — mas sem o qual se inviabiliza uma programação que todos os anos envolve milhares de pessoas.

Depois de Eu, Daniel Blake, Mustang, Cinema Paraíso, Il Sorpasso, Moonrise Kingdom, O Grande Ditador, As Férias do Sr. Hulot, e filmes concerto com Mão Morta, José Miguel Amaral ou Cante Alentejano, nos anos mais recentes, iríamos apresentar, entre outros, o concerto de Jozef van Wissem, músico que colabora habitualmente com o realizador Jim Jarmusch, e várias sessões de cinema. A qualidade e importância destes filmes, que passaram pela Praça D. Duarte, Museu Nacional Grão Vasco e Parque Aquilino Ribeiro, falam por si.

Tal como na primeira edição, em 1982, o cinema ao ar livre é um símbolo do que procuramos neste tempo — uma coordenação de esforços para enfrentar uma crise na área cultural que está a comprometer a existência de vários projectos em todo o país. É por isso que o Cine Clube tudo fará para retomar o projecto já em 2022, nos moldes habituais.


Programa de 2020




PROGRAMAS ANTERIORES: 2019 · 2018

Sessões aqui à volta!

Uma iniciativa que desde 1982 se realiza em Viseu.

É um símbolo do que procuramos neste tempo — uma coordenação de esforços para enfrentar uma crise na área cultural que está a comprometer a existência de pequenas salas em todo o país. Quando conseguirmos ultrapassar, vão juntar-se amigos e amigas de todas as idades, rodeados de filmes de muita qualidade, ao ar livre, tal como nesta edição em 1986. Estamos a seguir todas as recomendações das autoridades sanitárias para programar a actividade de maneira segura e responsável. Estamos e estaremos convosco!

Projecção nas fachadas, plateia na rua,
uma grande sala de cinema ao ar livre?

Museu Nacional Grão Vasco © FERNANDO CARQUEJA, 2016
Museu Nacional Grão Vasco © CÉSAR GOMES, 2016
Praça D. Duarte © JOSÉ ALFREDO, 2016
Parque Aquilino Ribeiro © SALOMÉ SANTOS, 2020

Cinema sob o céu de Viseu!

O CINEMA AO AR LIVRE é uma das actividades mais importantes para a fruição do espaço público da cidade, para a conquista de públicos para a cultura, para o bem-estar e atractividade do centro histórico de Viseu.

Aproveitando a pausa na sua programação regular, o CINE CLUBE DE VISEU sai anualmente à rua, em Julho, com a iniciativa CINEMA NA CIDADE e ocupa o coração do centro histórico de Viseu. O cinema ao ar livre é organizado pelo Cine Clube de Viseu e Câmara Municipal de Viseu desde 1982, tratando-se, por diversas razões, de uma das actividades culturais de maior tradição e expressão nesta região. Renovou-se, pois, o compromisso de exibir cinema capaz de atrair o grande público e cinéfilos, em excepcionais condições de espaço e convívio, no centro da cidade.

Praça D. Duarte © JOSÉ ALFREDO, 2014

A popularidade do CCV na cidade, no concelho, no distrito de Viseu, nos anos 80, fez-se da actividade regular, das iniciativas extra-cinematográficas, da itinerância, e, a partir de 1982, também se fez dos ciclos grandes de Cinema no Parque. Grandes pelos espaços, grandes pelas estreias, grandes pelo público. (…)

FERNANDO GIESTAS,
Cine Cidade – As salas de cinema, os protagonistas
e os filmes do Cine Clube de Viseu 1955.2007

Museu Nacional Grão Vasco © FILIPA ÁVILA ANTUNES, 2018