EDIÇÕES ANTERIORES:
CONVIDADOS & PREMIADOS





ALEXANDRA RAMIRES
Desenvolve trabalho na área do desenho, no âmbito de residências e formação, explorando essencialmente a área do cinema de animação assim como a técnica da gravura. Venceu, com Laura Gonçalves, o prémio da Melhor Curta – Aqui na Terra 2017, com Água Mole.



ALEXANDRE MARINHO
Alexandre Marinho é cinéfilo e realizador amador. Actualmente é doutorando em Estudos Literários (Teoria). Co-vencedor Melhor Documentário, em 2015, com Atopia (2015).



EDGAR PÊRA
Realizador com uma abordagem experimentalista na sua gramática visual, apoiada no instinto e na mistura de formatos (manipulação de super8 ao formato digital). Verdadeiro herói independente do cinema português, O Barão (2011), Virados do Avesso (2014) e O Espectador Espantado (2017) estão entre as suas últimas longas-metragens. Colabora no Argumento – revista do Cine Clube de Viseu – desde 2011. Convidado ed. 2016: Masterclass “Arkivos Lusoh-Galaktikos: A Câmara Espantada”.



EDUARDO CORREIA PINTO
Eduardo Correia Pinto, natural de Santa Comba Dão, é um cineasta independente que trabalha a memória colectiva enquanto objecto de expressão plástica. Aliando uma vertente etnográfica a um carácter experimental, os seus filmes reflectem a sua visão e sensibilidade enquanto realizador e sobre o mundo que o rodeia. Vencedor Edição 2014, com Douro, Ensaio, Memória (2014).



FILIPE MELO
Pianista, compositor, argumentista e muitas outras coisas. Em 2003, escreveu e produziu I’ll See You in My Dreams, uma curta-metragem de zombies (em pleno Caramulo), seguido de Um Mundo Catita (2007), para televisão. É autor, com Juan Cavia, da saga de BD Dog Mendonça e Pizzaboy e de Uma Nêspera no Cu, o altamente bem sucedido podcast com Nuno Markl e Bruno Nogueira. Convidado ed. 2016: apresentação da sua novela gráfica Os Vampiros (2016, com desenho de Juan Cavia).



HÉLDER FARIA
Mestre em Cinema pela Universidade da Beira Interior. O seu trabalho final de licenciatura em Cinema, Arpeggio (2012), foi exibido em vários festivais de curtas-metragens internacionais, incluindo a edição 2014 do VistaCurta. Vencedor Melhor Ficção, em duas edições VistaCurta, com Arpeggio (2014) e Ao Redor (2016).



HIROATSU SUZUKI
Hiroatsu Suzuki nasceu em Kyoto. Depois de várias experiências em filmes independentes, residiu em Okinawa onde começou a interessar-se pela fotografia em ambiente rural. Partiu para a Europa com o objectivo de apurar o seu sentido visual e artístico através da prática fotográfica e da visualização atenta de filmes em Paris. Descobre o cineasta Pedro Costa, com o filme O Quarto de Vanda, e decidiu viajar até Portugal. Convidado ed. 2015: apresentação de O Sabor do Leite Creme (2012, co-realizado com Rossana Torres).



JÉRÉMY POUIVET
Sound Designer residente no Porto. Fascinado por som, paisagens acústicas e fenómenos sónicos presentes no mundo. Trabalha como Director de Som freelancer, Location Sound Recordist e Sound Designer em cinema, documentário, filmes promocionais e publicidade. Vencedor Melhor Filme ed. 2013, com Negro (2012).



JOÃO BORDEIRA
Coordenador do Departamento de Vídeo/Fotógrafo na Mais Que Mil Palavras. “Realizador, editor de vídeo e produtor Solucionador de problemas e pró-activo. Contar histórias com imagens é a minha paixão!” Vencedor do prémio de Melhor Filme da edição de 2012 do VistaCurta, com A Costura de Clemente (2010).



JOÃO GUSMÃO
Estudou cinema na ESTC. Trabalha profissionalmente em cinema desde 2003, sobretudo na área de produção, e também como assistente de realização e argumentista. É autor do argumento das curtas-metragens A Cidade e o Sol, Mar do Norte, A Luz dos Dias Compridos, co-argumentista da longa-metragem Guerra Civil.



JOSÉ FILIPE COSTA
Realizador (Linha Vermelha, 2011, Entre Muros, 2002, O Caso J, 2017). Foi argumentista, realizador e coordenador da série de divulgação científica Histórias da Vida na Terra (2008). Doutorado pelo Royal College of Art, orientou as edições de 2014, 2015 e 2017 do Workshop de Realização, no Cine Clube.



JOSÉ MIGUEL PIRES
Natural de Vila Real, organiza sessões de cinema nesta cidade, para além da sua ocupação profissional como freelancer de vídeo. Formação superior em Comunicação, com especialidade em Audiovisuais, na Universidade do Minho. Vencedor Melhor Documentário ed. 2016, com Suão (2014).



JUDITH RUIZ CASTILLO
Curadora de mostras de cinema, tendo como projecto mais recente, desde 2013, a Muestra Cine Independiente Cubano de Barcelona. Tem formação e experiência em cinema na produção de vários projectos.



LAURA GONÇALVES
Trabalhou na animação, traçagem e arte final nos filmes de José Miguel Ribeiro, Marta Monteiro, Vasco Sá e David Doutel, entre outros, e em 2012 realizou a sua primeira curta de animação, Três Semanas Em Dezembro. Venceu, com Laura Gonçalves, o prémio da Melhor Curta – Aqui na Terra 2017, com Água Mole.



LEONARDO SIMÕES
Natural de Viseu, estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema e começou a trabalhar em cinema como assistente de câmara nos anos 1990. Como director de fotografia e/ ou operador de câmara trabalhou em áreas como: teatro, vídeo-clip, vídeo-arte, televisão, documentário e cinema. É professor adjunto na área de imagem no Departamento de Cinema da ESTC. Convidado ed. 2015: Masterclass de “Fotografia para Cinema”.



LUÍS AZEVEDO
Licenciado em Estudos Portugueses. Contribui para alguns jornais online como cronista/crítico de cinema (P3, JUP) e colabora há mais de dez anos com festivais de cinema. Co-vencedor Melhor Documentário ed. 2015, com Atopia (2015).



LUÍS BRÁS
“Depois de uma epifania a ver um filme, decidi que a minha vida teria de estar ligada ao cinema. Fiz a Escola de Cinema em Lisboa e uma pós-graduação em Cinema Documental, em Barcelona. Depois isolei-me numa pequena aldeia durante dois meses e fiz o meu primeiro documentário.” Convidado ed. 2016: apresentação da sua primeira longa-metragem, Lura (2013).



MANUEL MOZOS
Nasceu em Lisboa em 1959 e terminou o curso de Cinema em 1984. Trabalhou como montador, argumentista e assistente de realização com vários realizadores portugueses. Desde 2002, trabalha no ANIM- Cinemateca Portuguesa.
Como realizador, é autor de mais de 20 filmes, entre ficção e documentário, curtas e longas-metragens. Convidado ed. 2016: apresentação de A Glória de Fazer Cinema em Portugal (2015) e João Bénard da Costa – Outros Amarão as Coisas Que Eu Amei (2015).



MARGARIDA MADEIRA
Nasceu em Canas de Senhorim, e estudou Design de Comunicação. Co-autora de Olinda (2012), e autora de Dona Fúnfia (2014) e Os Prisioneiros (2014), curtas-metragens de animação seleccionadas para vários festivais internacionais de cinema. Actualmente vive em Lisboa, onde desenvolve projetos de animação com a Pickle Films. Vencedora Melhor Filme ed. 2015, com Os Prisioneiros (2014).



PATRÍCIA MATOS
Natural de Tondela, licenciada em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Vencedora da Melhor Curta – Competição Local 2017, com Depois do Ocaso.



PEDRO PINHO
Realizador, argumentista e produtor, apresenta uma obra que tem ido do documentário à ficção com uma desenvoltura notável. Em 2008, co-realizou o documentário Bab Septa, considerado um dos 10 melhores filmes do ano pela revista Film Comment. Um Fim do Mundo (2013) e A Fábrica de Nada (2017) são os seus trabalhos seguintes em cinema.



PEDRO RESENDE
Nasceu em Lisboa, e desde cedo teve uma paixão pelo cinema. Em 2009, vai para Austin, Texas (EUA), onde tem acesso ao mestrado de Produção de Belas Artes da Universidade do Texas. Em 2010 realiza Maybe, a sua primeira curta-metragem, e vence o primeiro prémio da competição ZON. Após as aclamadas curtas Forever (2012) e Imaginarium (2014), está atualmente a trabalhar na sua primeira longa metragem, a ser filmada em Austin. Vencedor Melhor Filme ed. 2011, com Maybe (2011).



RUI SILVEIRA
Nasceu em Campo Maior em 1983 e vive em Montreal. É Mestre em Design de Comunicação e New Media pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e frequentou o programa de Estudos Independentes de Maumaus – Escola de Artes Visuais. O interesse pela linguagem do vídeo levou-o a uma residência artística de 9 meses na Binaural/Nodar, durante a qual realizou Abrigo (2010). Vencedor Melhor Filme ed. 2010, com Abrigo (2010).



TIAGO BAPTISTA
Director do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, o centro de conservação da Cinemateca Portuguesa. Doutorado em Film and Screen Media pela Universidade de Londres (Birkbeck College), membro fundador da AIM-Associação de Investigadores da Imagem em Movimento e coordenador editorial da Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento.